top of page

Pasta Non Basta (Comer em Lisboa V)

Há restaurantes que te fazem viajar, o Pasta Non Basta é um deles.

Quem me conhece sabe que sou fã da Cucina Italiana #SouAGordinhaDaFesta mas por ter este gosto costumo ser exigente com o prato, sobretudo com a Carbonara (Ou eu não fosse afilhada do Tio Chico).

Em Lisboa só houve dois lugares que me conquistaram com a Carbonara: 1) Bella Ciao e 2) Pasta Non Basta (haverá oportunidade para falar do Bella Ciao).




Pasta Non Basta

É um lugar que frequento com frequência (aquela redundância para frisar a minha frequência) e tenho muitas experiências diferentes para relatar dessas frequências.

Há uma experiência que me marcou porque, pela primeira vez, ganhei um Giveaway no Instagram (amigos vale a pena participar!). O passatempo era para festejar o dia mundial da pasta (sim há um dia mundial da pasta e é o 25 de Outubro - marquem nas agendas e festejem sem dietas!). Depois de ter respondido certo ao nome do prato, Spaghetti Alle Vongole, ganhei um vale de 20€ para gastar numa refeição #EntãoBoraLá.


Comecemos pela primeira vantagem, o local - perto do meu escritório, perto da Gulbenkian, perto da Igreja de NSF... E como não amar aquele passeio de domingo: ir à Missa na Nossa Senhora de Fátima Avenida de Berna ao 12h, almoçar no Pasta Non Basta, passear pelos jardins da Gulbenkian, entrar e ir ao Museu (que ao domingo é grátis) e depois café nas Avenidas Novas #GanheiODia. Nem sempre é fácil conseguir mesa, então se for sábado à noite é-quase-impossível, para mim isto é já uma prova de que tem carisma.




Há dois restaurantes Pasta Non Basta: Avenidas Novas (Avenida Elias Garcia, 180 B) e Alvalade (R. Marquesa Alorna, 17 B), mas há pequenas diferenças entres eles (assim como não há gémeos perfeitamente iguais, também não há restaurantes perfeitamente iguais). A minha última experiência no restaurante de Alvalade não foi de todo a que costumo ter no restaurante das Avenidas Novas. Para além do sabor não ser tão primoroso (não sei se isto é psicológico), pior foi o atendimento. É de longe muito ineficaz em comparação com o outro restaurante: confuso, tivemos de pedir várias vezes as mesmas coisas (aquela sensação que fomos esquecidos?) e tínhamos um pedido especial - queríamos dividir e pedimos para os dois pratos virem um de cada vez - mas ao que parece isso não é fácil; voltei a chamar o empregado, expliquei o pedido que fiz à colega e restou um pedido de desculpas com uma Carbonara fria. Contudo, o pior foi mesmo a postura da menina que estava a atender (na minha terra dir-se-ia que parecia uma barata tonta (sabe quando se tenta matar uma barata e ela fica meia tonta é essa imagem))! Andava às voltas pela sala, literalmente às voltas! O F. disse que parecia que queria mandar-nos embora indiretamente, mas fazer "pressão" com círculos pelas mesas é uma bad strategy, (a formação do pessoal é um problema geral na restauração portuguesa). Como os pormenores fazem a diferença, até os copos das imperais no restaurante de Alvalade eram diferentes. Gosto daqueles copos baixinhos do restaurante das Avenidas - não estraguem o charme, por favor!


O que vale é o restaurante das Avenidas Novas ser top top em termos de pessoal: sempre simpáticos, muitos prontos no serviço e no sorriso.

Falemos então de coisas boas!

Pasta Non Basta tem produtos frescos e mesmo, mesmo italianos. Foi o que senti ao chegar… o cheiro a trufas, tãoooo boooom e se acompanhar o Instagram AQUI pode ver a frescura em acção.

Para além de ser um lugar com atitude, tem uma decoração sofisticada. Simples, mas cheia de cor - é um lugar giro: para jantar com as amigas, para jantar com o date e para jantar com a mãe!

Coisas a não perder:



Antipasti:

Sim falemos da Antipasti mais explosiva e fancy da viiidaaa: Bruschetta alla Pera Avocado e Gamberetti é tão tão bom que eu sou capaz de lá ir só por isso... é uma explosão de sabores: temperada com paprika, a cebola com o tomate em cubos e o abacate a fazer cama aos camarões, não são gambinhas congeladas são mesmo um naco de carne.... acredite, vá provar e depois falamos, é tão bom que nunca consigo pedir outra coisa quando lá vou, mesmo que as outras bruschettas pareçam apetitosas.



Pizze:

Tenho um bom amigo viciado na Tartufo: mozzarella fiordilatte + pecorino + trufa + guanciale e espinafres óptima para os fãs das trufas. A minha última escolha foi a Parmegiana: tomate + mozzarella fiordilatte + beringela + lascas de parmesão e manjericão, acreditem, quando provei aqueles sabores temperados com folhas de manjericão fresca foi como voltar a Roma. Isto é das coisas mais incríveis na comida: viajar com uma só dentada #Obrigada (esta sensação nunca consegui naqueles restaurantes italianos comuns de Lisboa: DiCasa, Mercantina ou até na Caprichosa).



Primi a Pasta:

Falemos agora do Pasta que afinal basta #PiadasSecas Gnocchi alla Sorrentina: massa fresca + molho de tomate + burrata e manjericão, ok era um Gnocchi normal, mas normalzinho de mais, faltava carisma, faltava sabor, talvez um pouco mais de burrata. Acho que foi a minha segunda hipótese ao Gnocchi e falhou.

A Fettuccine dello Chef: massa fresca + camarão + alho e limão estava al dente, contudo com um intenso sabor de peixe que o camarão pode deixar (talvez um pouco mais de aglio e olio). O Spaghetti Sll'Amatriciana: molho de tomate + guanciale + mozzarella de búfalo, superou o Fetticcine (e foi depois deste prato que fui ouvir um Mozart na Gulbenkian. Quem disse que a massa não combina com o Barroco?).

Mas não há nada que se compare com o Spaghetti Alla Carbonara: guanciale + ovo + pecorino + pimenta preta, isto é a sério quando digo que é das melhores Carbonaras que comi em Lisboa! A Carbonara é um clássico e, como muitos clássicos, é talvez dos pratos mais deformados em todo o mundo. Assassinos: não metam natas na Carbonara, não assassinem a pasta. Aqui encontra o que se espera de uma Carbonara: um prato simples de sabores intensos, enfim com o conforto típico da cozinha italiana.


Dolci:

Penso que há pessoas que, depois do jantar, têm uma parte do estômago sempre vazia à espera da sobremesa e eu sou uma dessas pessoas #GordinhaDaFesta. Há duas divas nas sobremesas: Tiramisù, outra receita que é igualmente assassinada – não, o Tiramisù não leva natas, mas sim Mascarpone. Aqui encontramos um verdadeiro e bom Tiramisù e, como tal, é servido à mesa, como na casa da Nonna. Mas se estiverem num momento com falta de calorias podem apostar na Mousse Alla Nutella com amendoins caramelizados e pergamena. É simplesmente um sonho (já sabem que sou fã da Nuttella) e com isto vale a pena dizer adeus à dieta.

Muito Bom: localização, decoração, simpatia dos empregados do restaurante das Avenidas Novas, produtos frescos e Made in Itália a Carbonara, a Bruchetta e as Sobremesas.
Assim-a-Assim: o preço, não é um restaurante caro mas não é um restaurante barato. Contudo, aceitável pela qualidade dos produtos.
Mau: "as baratas tontas" (sem ofensas) do restaurante de Alvalade e os copos de imperiais diferentes #JeSuisCoposBaixinhos.
Preço: €€
Avaliação: ****
25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page